O que é o IOF?

Você já ouviu falar no Imposto Sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros? Com esse nome monstruoso provavelmente não. Mas é praticamente certo que você já se deparou com o chamado IOF, um dos vários impostos que embaralham a cabeça dos brasileiros. Seja na fatura do cartão de crédito ou nos noticiários, essa cobrança definitivamente faz parte daqueles que fazem compras regularmente através de diversas formas.

Mas o que é esse tal de IOF? Qual é a sua utilidade? Por que ele foi instituído? Neste artigo do Tudo Sobre Investimentos, quero responder essas e mais algumas dúvidas acerca do imposto sobre operações financeiras. Prepare a cuca para entender definitivamente como isso funciona.

O que é o IOF e para que ele serve?

Uma mão colando dinheiro em um cofre porco - O que é IOF?

O chamado Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros – mais conhecido apenas como Imposto sobre Operações de Crédito – possui um nome bastante autoexplicativo. Trata-se de uma cobrança que incide sobre qualquer tipo de operação de crédito, câmbio e seguros. Até mesmo transações relacionadas a títulos (públicos e privados) e valores mobiliários entram nessa jogada.

Esse imposto foi criado com o objetivo de servir como um instrumento regulatório da economia brasileira. É por meio da arrecadação do IOF que o Governo sabe como está a demanda e a oferta de crédito no Brasil. A alíquota – ou porcentagem – dessa cobrança é diária, mas o recolhimento do IOF é mensal.

Como calcular o IOF?

O cálculo do IOF é bastante complexo. Isso porque estamos falando de um imposto regulatório que pode ser alterado a qualquer momento pelo Governo. Por estar incluído em diversas operações (crédito, câmbio e seguros), as taxas dessa cobrança variam dependendo da ocasião.

  • 3% ao ano para pessoa física;
  • 0,38% na abertura de operações de crédito;
  • Máximo de 25% para operações de câmbio e de seguro;
  • 1,5% ao dia para títulos e valores imobiliários.

Para você entender melhor o cálculo do IOF, aqui vai um exemplo: imagine que você tem R$ 1.000 em sua conta. No mesmo dia em que você consultou o extrato, um débito de R$ 2.000 deixa a sua conta negativa. O cálculo a ser realizado é: 0,38% x R$ 1000 / 100. Ao final desse dia, o IOF será de R$ 3,80, o que será cobrado apenas no final do mês.

A polêmica do IOF

Notas de real sobre a mesa com uma calculadora - O que é IOF?

Como eu disse brevemente em um dos parágrafos acima, o IOF é um imposto regulatório que pode ser alterado a qualquer momento. Assim como qualquer outra cobrança compulsória do Governo, sempre vai existir o questionamento sobre sua validade. Como um tributo para arrecadação, não há quem questione a sua utilidade para a economia. Porém, como um instrumento regulatório, há especialistas que consideram que o IOF não proporciona o efeito esperado.

Isso acontece porque os consumidores podem ter motivações diferentes na hora da compra. Muitos acabam considerando apenas o número de parcelas para levar um produto para casa. Portanto, a alta da taxa do IOF, que é usada pelo Governo para controlar o crédito, acaba não atingindo boa parte da população. Além disso, muitos acabam optando por outras opções de crédito, que nem ao menos são afetados por esse imposto, como é o caso dos cartões de lojas e o próprio parcelamento sem juros.

Apesar da polêmica, o IOF continua existindo e causando confusão entre os consumidores. Espero que com este artigo eu tenha esclarecido alguns pontos a respeito desse imposto regulador da economia. Ainda ficou com dúvida? Então deixe sua pergunta nos comentários! Terei o maior prazer em responder!

 

Imagens: Shutterstock

Que tal descobrir o verdadeiro Segredo Para Ficar Rico? O Tudo Sobre Investimentos revela para você!

Eduardo Harada

Meu nome é Eduardo Harada, criador e autor dos textos compartilhados pelo site Tudo Sobre Investimentos. Em determinada época da minha vida, frustrado com a situação econômica pela qual eu passava, decidi aprender e dominar tudo sobre os universos de finanças pessoais, dinheiro e investimentos para que eu pudesse entender o que fazer para contornar os meus problemas.

Website: http://tudosobreinvestimentos.com/